sábado, 9 de janeiro de 2010



"Somos tão jovens"...


Antigamente haviam amigos... festas.. bebedeiras... sorrisos... fotos e mais fotos...
Parecia que tínhamos o mundo em nossas mãos!
Hoje estou velha demais pras bebedeiras, pras intriguinhas de adolescentes, pra ir pra balada, pra tentar convencer de que somos amigos.
Estou velha demais para esperar que me ouçam, que me sintam, que sintam minha falta.

Eu sinto falta...

Os chás entre amigas que nunca tive. Os encontros no bar pra tomar tequila, fofocar e falar mal dos homens. As confissões daqueles segredos irresistíveis... As festas. As fotos de muitas festas. As ressacas de muitas fotos. Viagens, passeios, filme com brigadeiro. Eu sinto falta das amigas que não tive!
Porque, se eu as tivesse, seríamos únicas! Inseparáveis... e, mesmo assim, sem cobranças.

Hoje eu estou velha pra sentir falta! ... Até mesmo das ilusões de amigos.
Será que fui eu mesma que envelheci? Ou o mundo já não é mais o mesmo?

"Somos tão jovens... tão jovens..."
"Temos todo tempo do mundo."
"Não temos tempo a perder!"

Será que estou mesmo ficando velha e chata ou é o mundo que não vê?


(Laís Mendes, madrugada de 09 de janeiro de 2010)
..........

2 comentários:

trunkael disse...

É tudo uma questão de percepção temporal. A gente perde o que está para nós no tempo certo, depois fica sentindo essa falta.

Débora disse...

Tô passando aqui pela primeira vez. Gostei.
Gostei do texto. Acho que todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já sentiu isso tudo o que você disse/escreveu.