terça-feira, 22 de julho de 2008

Juntando os pedaços



É assim toda noite de lua cheia. Eu fico louca pra voar, atingir o infinito, abraçar o mar. Eu me visto e me olho no espelho várias vezes. Meus olhos parecem ferver na vontade insana de ver o mundo. Eu me troco e me contorno várias vezes. Pergunto ao espelho se estou bem. Ponho salto alto e brilho nos lábios. Perfume e anéis variados.

É assim toda noite de lua cheia. Verifico o telefone, se vai tocar. A janela, se o carro vai chegar. Eu faço pose e mudo o cabelo várias vezes. Converso com o espelho esperando o tempo chegar. Saio na procura por paixão em algum lugar.

É assim toda noite de lua cheia. Várias pessoas, várias estrelas. Eu olho pros lados procurando o que eu não sei. Meus olhos não enxergam aquilo que eu sei. E a noite vai ficando fria, como toda noite de lua cheia. O coração aperta e dá vontade de ir pra cama, esconder debaixo da coberta e ficar ali. Toca uma música bonita e eu canto alguns trechos da minha vida. Eu olho pros lados, mas a procura é vã. Um amigo me abraça pra dizer que não está lá. O que eu procuro... nunca vai estar!

É assim toda noite de lua cheia. Alguém precisa ter um jeito de me proteger. Me pôr no colo e me levar pra casa. Esperar por mim quando entro com passos calmos no meu quarto, pra dizer que ta tudo bem quando não está. Eu tiro minha máscara e me jogo na cama. Procuro ter pra quem ligar, perco aquele olhar... Olhar de lua cheia no início da noite. Espalho as roupas pelo chão, ignoro o relógio que diz que já é tarde.

É assim toda noite de lua cheia. Deito em minhas metades, pra ver se fico inteira ou continuo meia. Aumento as cobertas pra ver se o frio some. Deixo que meus olhos descansem do que eles não viram. Deixo que a música toque em mim e me deixe sentir.

E agora... Eu sou! Não é mais lua cheia, nem noite fria, nem procura insana, nem ligações tardias. Sou eu... e só!


(Laís Mendes - maio de 2008)

3 comentários:

trunkael disse...

A lua cheia parece sempre aumentar o que estamos sentindo, se apaixonados, mais deslumbrados ficamos; se de coração partido, ficamos ainda mais depressivos.

Rodolfo disse...

Será que vale a pena olhar pro ceu...

Bibs ° disse...

Laais, que saudade dos teus textos! Eles são tão cheios de entrelinhas, tão fascinantes.

As coisas acontecem no momento certo, e quando menos esperamos. Curta a noite sem pensar na lua, pois, quando perceber esta ja vai ter dado lugar ao sol.